CROSSFIT PROVOCA LESÕES?

Publicado por
A visão do Dr. McGill sobre o CrossFit
maio 10, 2017 | Posted by Pedro Emerson | Traduções
O Dr. Stuart McGill é uma unanimidade quando o assunto é dor lombar e treinamento preventivo. Nessa entrevista realizada pelo Dr. John Rusin, publicada no site T Nation, McGill responde algumas questões controversas com muita propriedade.  
Dr. Rusin: O CrossFit é perigoso?
Dr. McGill: Minha especialização é em lesão nas costas, de modo que é a partir dessa perspectiva de que eu abordo temas controversos como este. Para registro: eu tenho uma relação de amor e ódio com o CrossFit.
Eu não acho que “perigoso” seja a palavra certa, mas certamente “risco de lesão” é mais apropriado e facilita a discussão de práticas que influenciam risco de lesões, mecanismos de lesão e taxas de lesões.
Um dos principais componentes do CrossFit é o levantamento olímpico. O levantamento olímpico deve se adequar ao levantador, não o contrário. Dado às demandas anatômicas especiais necessárias para levantar com eficiência e com resiliência à lesão.
A flexibilidade necessária nos quadris e nos ombros em muitos casos é um presente de seus pais. Não importa o quanto tente alongar, alguns nunca terão o encaixe anatômico do quadril e ombro necessário para realizar um agachamento profundo e levantar uma barra sobre a cabeça. Mas tentarão. E sua forma comprometida criará mecanismos de lesão substanciais.
A maioria das que eu vejo são protuberâncias dos discos intervertebrais e fraturas da placa vertebral terminal. A maioria dessas fraturas não é detectada por radiologistas em exames de raio-x.
Dr. Rusin: O que pode fazer um treinador de CrossFit, sem uma forte base em levantamento olímpico, para identificar atletas em risco e manter seus clientes e atletas seguros?
Dr. McGill: Isso é um desafio para todo treinador. Qualquer um pode jogar basquete com um risco mínimo de lesão, mas isso não se pode dizer do levantamento olímpico. A questão é que a programação dentro de uma rotina do CrossFit pode ser problemática. Treinadores olímpicos de classe mundial treinam com poucas repetições. Eles também aprendem a nunca perder um levantamento, nunca levantar quando fatigado, e nunca comprometer a forma. Eles não criam memória muscular poluída com padrões cansados. Essa abordagem gera rápidos ganhos em performance e menos lesão.
Conheci vários levantadores olímpicos ao longo dos anos que são unânimes em afirmar que sua lesão nas costas foi uma lição. Eu ensinei eles a nunca levantarem com uma forma comprometida de novo. Um deles veio a quebrar vários recordes mundiais.
Atlas-Stone
Dr. Rusin: Quais são as causas mais comuns de lesão?
Dr. McGill: Os discos são bastante resistentes e resilientes a altas carga quando eles não estão flexionados, mas quando em uma postura neutra.
Pense em flexionar a coluna ao pegar uma atlas’ stone. A coluna é flexionada sobre a pedra e levantada com extensão nos quadris – a coluna permanece rígida. A lesão aparece quando a coluna vertebral é flexionada e, em seguida sobrecarregada com alta compressão, e se estende ainda mantendo essa alta compressão. Aqui, as altas repetições destes movimentos em flexão enquanto sob altas cargas, estressam lentamente as fibras de colágeno que formam os anéis externos do disco.
Eventualmente, o efeito cumulativo no núcleo pulposo pode causar uma protusão discal. Temos realizado dezenas de experiências ao longo dos anos para provar isso.
Dr. Rusin: É bem aceito que colocar a coluna em uma posição flexionada sob altas cargas é uma coisa ruim. Mas os levantadores olímpicos não suportam os mesmos tipos de estresse que os atletas CrossFit quando executam levantamentos olímpicos dentro de programação ou do WOD?
Dr. McGill: Essa é a distinção entre os verdadeiros atletas de levantamento olímpico e os atletas CrossFit. As altas repetições e a deterioração da técnica do levantamento por causa da fadiga em atletas de CrossFit provoca uma maior incidência de protuberâncias e hérnias de disco. Eu raramente tenho que lidar com essas lesões nos atletas olímpicos – normalmente eles têm costas saudáveis, mas sucumbem a lesões no ombro, joelho e quadril.
Mas o CrossFit agrava ainda mais o risco. Os atletas de levantamento olímpico enrijecem o colágeno em seus discos intervertebrais apenas treinando a mobilidade articular. Já os atletas de CrossFit devem executar exercícios como Burpees. Realizar dez burpees antes de dez snatches substitui a rigidez do disco pela flexibilidade e suavidade na matriz que segura as fibras de colágeno juntas, resultando em um cenário de risco de lesão mais potente. Muitos atletas têm, e vão pagar o preço com anos de dor nas costas.
Dr. Rusin: Então a programação específica de treinamento do Crossfit pode colocar a saúde da lombar em risco. Mas será que os treinadores de Crossfit não sabem disso?
Dr. McGill: Enquanto eu participava da competição de CrossFit no Arnold Classic, uma coisa realmente se destacava: a técnica de levantamento era péssima.
Eu não vi um levantador competente. Nenhum! E as coisas só pioraram com cada série e repetição. (Vou deixar claro que eu visitei antes alguns boxes de CrossFit e encontrei alguns levantadores muito competentes). Nenhuma correção dos treinadores, apenas incentivo para continuar levantando. Os atletas lesionados desceram para a barraca médica onde eu vi abordagens de fisioterapia e quiropraxia sendo administradas, e na minha opinião, inadequadas e estranhas.
Injury

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.