Previdência humana, providência divina.

Publicado por

04 de julho de 2019 – quinta-feira

A imagem é estarrecedora: Um homem de 90 anos nos braços do filho, estão levando o homem para uma agência do Banco do Brasil, esta é a forma de provar que ele está vivo. Ele tem saúde frágil. O funcionário do banco não aceita a presença do homem como prova e grita com a filha do desvalido e pergunta se ela quer que ele, o funcionário, cometa uma ilegalidade. Tudo que eles querem é que o homem que agoniza receba os novecentos e poucos reais da aposentadoria. Enquanto o homem agoniza, milhares de golpes são realizados, retirando provimentos de contas de aposentados de norte a sul do país. Em Brasília, engomadinhos, deputados e senadores, posam diante das câmeras “super preocupados” em resolver questões ligadas à previdência. O que era pra ser uma reforma, está virando uma mexidinha num cantinho da casa da previdência pois cada um está preocupado com o seu próprio umbigo. Enquanto isto, o home de noventa anos vai a óbito. Quem se preocupa com isto?

Previdência humana (FESTIVAL DE VAIDADES, MALDADES, MARKETING, INTERESSES EXCUSOS, PALHAÇADAS, TEATRO DOS VAMPIROS).

Só a providência divina diante de ações de homens e mulheres de má vontade.

veja o desfecho da história do homem que tenta provar que está vivo. MORREU.

http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-1edicao/videos/t/edicoes/v/idoso-de-90-anos-e-carregado-no-colo-ate-agencia-bancaria-para-provar-que-esta-vivo/7737661/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.