Coronavírus: fim do mundo ou oportunidade de crescer (29.02.2020)

Publicado por

Olhos fixos na tela do notebook, ouvidos atentos à reapresentação do Globo Repórter, que penetrou por uma área escondida da imensa floresta amazônica; pássaros desconhecidos, montanhas que podem ter bilhões de anos etc. Um especialista na área fala de uma população de 6 milhões de habitantes que moravam alí muito antes de Colombo chegar na América, uma arqueóloga fala de fósseis de seres que são típicos de mares e afirma a Amazônia já foi mar.

Mergulho em ambientes da internet, as notícias dão conta de novos casos de coronavírus, o bilionário Gates compara este momento a outros que dizimaram milhões de pessoas tempos atrás e conclama nações para se juntarem em ações conjuntas para enfrentar o vírus. No Brasil, no Instituto Adolf Lutz, um aparelho que cabe na palma da mão, decifra o código genético do minúsculo ser, isto não merece primeira página, mas procedimentos anteriores, levavam 15 dias para tal resultado. Palmas para os cientistas brasileiros. A manchete prefere falar do pavor que toma conta de todos. A máscara que custava seis reais, agora é vendida a 24 reais.

A história da humanidade ensina, que a dificuldade nos fez evoluir. é o desafio das doenças e da morte eminente que nos fez descobrir, vacinas, antibióticos etc etc.

vamos superar mais esta. Pelo menos neste momento os cérebros privilegiados do mundo podem deixar de lado os projetos de armas cada vez mais letais, para se preocuparem em criar mecanismos de sobrevivência. Quem viver verá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.